Perguntas Mais Frequentes

Consulte a gama completa do B-LONG da SPIT que oferece os diâmetros 8 e 10, cabeças de embeber e hexagonais, e diversos comprimentos até aos 300mm com 260mm de espessura máxima do dispositivo. ATE (Acreditação Técnica Europeia) inclui todos os tamanhos e uma possibilidade de fixação com uma profundidade de ancoragem modular em função do material de base : de 40mm a 70mm.

Porque o B-LONG resistiu aos testes de simulação sísmica nos dois suportes de betão e alvenaria. Os tamanhos em que se apresenta e a sua cabeça foram escolhidos em função da exigência de um bom desempenho em condições críticas.

Não, o ETAG 001 refere-se apenas às buchas metálicas no betão. ETAG 020, dá a orientação relevante para o comportamento das buchas em plástico nos diversos materiais de base, não contém nenhuma recomendação sobre as ações sísmicas. Só é possível estudar o comportamento sísmico das buchas ou ancoragem plástica com a realização de testes experimentais específicos.

B-LONG XTREM está aprovado através da ATE (Acreditação Técnica Europeia) de acordo com EOTA (European Organization for Technical Approval – Organização Europeia para Aprovação Técnica) com base na ETAG 020 (European Technical Approval Guide – Guia de Orientação para a Acreditação Técnica), neste caso de buchas plásticas para uma utilização múltipla em betão e alvenaria para aplicações não estruturais. Além disso, a versão específica um parafuso em aço inoxidável que satisfaz plenamente a necessidade de resistência às condições exteriores agressivas.

O B-LONG XTREM pode ser aplicado em fachadas ventiladas, material elétrico e mecânica ligeira, suportes metálicos ligeiros, ou em fixações múltiplas adequado a diversos materiais de base.

O TRIGA Z XTREM é um sistema de fixação de alto desempenho com ATE (Acreditação Técnica Europeia) e diferentes cabeças terminais. As principais vantagens são:

  • ATE opção 1 em betão fissurado e certificação sísmica C1 e C2
  • Fixação com espaçador de aço para valores elevados de cisalhamento
  • Sistema de colapso da parte metálica para uma perfeita colagem da peça a fixar
  • 100% Aço para uma melhor resistência ao fogo
  • Cone de expansão interna evita o deslizamento do sistema assim que é colocado
  • 3 cabeças possíveis (porca + cabeça roscada, parafuso normal ou parafuso de embeber) para um acabamento perfeito.

Com a versão de cabeça roscada + porca, é possível ajustar o comprimento da barra roscada e ajustar o espaçador da peça a fixar. A versão parafuso tem um acabamento mais estético.

O TIGRA Z XTREM aplica-se nas construções metálicas, sistemas de ar condicionado pesados, aplicações nucleares, infraestruturas e engenharia civil (por exemplo: pontes…)

Ambas são buchas de fixação metálicas que funcionam por expansão controlada pelo aperto. Ambas são uma opção e têm certificação sísmica C1 e C2. Mas a TRIGA Z XTREM existe com três versões de cabeça diferentes (parafuso normal, com porca, cabeça de embeber) e utiliza um espaçador metálico que dá resistência muito elevada ao cisalhamento (amolgamento da camisa da bucha). Foi concebida para resistir perfeitamente às vibrações. A TRIGA Z XTREM utiliza um sistema de expansão em aço que assegura uma fixação perfeita da peça a fixar.

EPCON C8 XTREM é uma resina de elevada eficiência utilizável em betão fissurado e com aplicação aconselhada em zonas sísmicas. As principais caraterísticas são:

  • ATE (Acreditação Técnica Europeia) para betão fissurado e não fissurado para a aplicação de varão roscado (M8 a M30)
  • ATE para a aplicação de barras de ferro nervurado de Ø8 aØ40 mm no betão
  • Aprovação sísmica C1 para a aplicação dos varões roscados
  • Aprovação contra fogo 4 horas
  • Resina de elevada eficiência para cargas pesadas
  • Utilizável nos buracos perfurados a diamante para aplicação de barras de ferro nervurado
  • Utilizável em furos submersos
  • Composto Orgânico Volátil (VOC) classificado A+
  • 36 meses de conservação

Utilizamos dois componentes. A resina e o endurecedor que devem de ser perfeitamente misturados para iniciarem a reação química. As resinas EPOXY são as mais sensíveis a uma mistura perfeita, por isso deve de utilizar o misturador que é fornecido junto com o cartucho. Este misturador foi especialmente estudado para conseguir o melhor desempenho do produto.

Deve calcular-se o volume do buraco, e o volume do varão roscado ou das barras de ferro nervurado do betão. A diferença entre ambos é o volume de resina necessário para a V/ fixação. A SPIT já fez o cálculo para ajudar. Os resultados estão disponíveis no guia técnico.

A resina EPCON está aprovada em caso de risco sísmico C1 e tem a aprovação técnica para selar ferro a betão em zonas sísmicas. É uma resina EPOXY que não encolhe após o endurecimento, por forma a conseguir o melhor desempenho possível.

Para obter um desempenho elevado em betão fissurado, a FIX Z XTREM necessita de uma ancoragem mais profunda. É o caso do antigo Fix Z e dos produtos concorrentes para betão fissurado.

Um baixo número de toques de martelo e uma fraca deslocação ao apertar permitem uma instalação extremamente simples. O aperto é rápido e imediato.

Para responder a todas as aplicações disponíveis no mercado para betão fissurado e não fissurado. As aplicações em betão fissurado não têm que utilizar a Cavilha FIX Z XTREM obrigatoriamente. A cavilha FIX 3, por exemplo, pode ser colocada a uma profundidade de ancoragem reduzida.

Este sistema de fixação funciona perante betão qualquer resistência (fracos ou fortes). Esta fixação proporciona desempenhos superiores ao sistema FIX 3, mesmo em alguns casos quando utilizada em betão não fissurado.

Desenvolvemos uma versão A4 para betão fissurado e não fissurado mas, de momento, não tem aprovação sísmica.

Não existem parafusos para betão com aprovação sísmica C2.

Destina-se a todas aplicações estruturais ou não estruturais que necessitem prioritariamente de uma solução para betão fissurado ou em zona sísmica.

Esta cavilha inclui aplicações das duas gamas anteriores e cobre as exigências técnicas necessárias para utilização em zona sísmica.

Destina-se a todas aplicações estruturais ou não estruturais que necessitem prioritariamente de uma solução para betão fissurado em zona sísmica.

Esta nova cavilha de fixação destina-se aos diferentes grupos profissionais como serralheiros e metalomecânicos, carpinteiros, eletricistas, instaladores-montadores,… e destina-se a praticamente todas as aplicações do mercado como, por exemplo, fixação de cantoneiras, armações metálicas, suportes para cabos, em betão fissurado ou não fissurado.

Isto vai permitir que respondam sempre aos V/ clientes porque permite sempre uma aplicação em qualquer caso. Referenciar este sistema de fixação, é a possibilidade de responder a novos mercados e a novos clientes que ainda não tocaram.

É uma gama de cavilhas de fixação que funciona para todas as aplicações em betão fissurado, não fissurado ou onde exista risco de atividades sísmicas. É o sistema de fixação que possui a gama mais adequada do mercado para responder em caso de abalos sísmicos C1 e C2.

Sim, se a aplicação se encontra numa região de elevado risco sísmico, 0,05 g, e se essa aplicação se vai efetuar num imóvel ou edifício com uma classe I a IV, de acordo com o Eurocode 8.

Poderão utilizar um sistema de ancoragem C2, que poderá adaptar-se a todas as áreas, à configuração tipológica e ao local de construção.

Pode utilizar o software de cálculo SPIT I-EXPERT que tem um meio fácil de escolher especificamente a fixação de acordo com as normas.

De forma alguma, a fixação de elementos não estruturais está também prevista pelas normas de conceção e avaliação sísmicas. Em muitas regiões de atividade sísmica moderada deve de se utilizar a categoria de desempenho C2 (a mais elevada), para os edifícios mais importantes.

A maioria dos países europeus preocupam-se com os regulamentos sísmicos de acordo com a EOTA TR 045 e Norma Europeia 1992-4, pelo método de conceção, e da EOTA ETAG 001 Anexo E, para o processo de qualificação. Verifique sobre a categoria de desempenho sísmico o MAP.